quarta-feira, 12 de dezembro de 2007

Imagine...

Mas que porra de lingua é essa??

Ainda me pergunto se ainda falamos português.

Estava navegando por um fórum de metal de Portugal, e claro, vi coisas escritas das quais não estava acostumados, mas havia entendido tudo até ler isso:

"JA ME BAIS FUDER A MUONA PQ TE TOU A CHAMAR NAIQUIUNE?! "

Alguém se habilita?

segunda-feira, 26 de novembro de 2007

Cacah's Birthday

Felicidade é sempre boa quando acompanhada de comemoração!

Parabens amor da minha vida!

segunda-feira, 19 de novembro de 2007

Daemoncracy

Finalmente, o filho nasceu, depois de meses e meses de ensaios, bate papos, composições, kilometros de asfalto, gasolina, coca-colas, cervejas, talento e esforço despendidos.

Por bem ou mal (é muito cedo pra avaliar), o filho não pode nascer de parto normal, ou seja, prensado, em caixinha de acrílico, com encarte impresso e tudo mais, portanto, a cesariana veio sob nome de internet, e quer queira quer não, faz parte da evolução de um mercado que mal sabe o que quer.

Independente de qualquer coisa, Daemoncracy foi uma forma que encontramos para fazer o que gostamos, de nos divertir, de mostrar o que pensamos... O disco foi feito para os fãs de música pesada, mas antes de mais nada, feito para satisfazer nossa própria vontade! E todo despendio é compensado pela evolução que obtivemos, pela família que formamos e pelo reconhecimento de qualquer um que goste do nosso trabalho.

Pelo dinheiro, tempo, talento e vontade investidos, e pelo nível de consciência que alcaçamos com a criação desse album, acredito que se pudesse descrever o albúm em apenas uma palavra eu diria "Sincero"!

Parabéns a todos nós que fazemos arte nesse mundo underground, e fazemos a roda cultural girar por debaixo dos panos, afinal de contas, só nós sabemos o quanto isso é trabalhoso e de retorno financeiro zero. Por sorte, fazemos o que gostamos!

Download de Daemoncracy em http://www.poisongod.com

Keep headbanging!

domingo, 11 de novembro de 2007

Eu vou é jogar merda no ventilador....

12º Fest Rock Sol Poente, na boa, espero que seja o último da série a acontecer. Um evento que acontece a 12 anos, e por incrível que pareça, consegue ser pior a cada ano que passa.

Desculpem-me Delio, Sergio Meneguelli e demais pessoas que "organizaram" o evento, mas se for pra organizar alguma coisa, organiza direito porra!

Como diz o dito popular, de boas inteções o mundo está cheio, isso não é desculpa nenhuma pro evento que aconteceu ontem.

Chegando ao lugar escolhido, a Chácara Favoretti, achei a quantidade de público até boa, levando em consideração que esse foi o primeiro Fest Rock pago (R$5,00). Estava tranquilo, afinal, a propaganda feita, é que desta vez teriamos estrutura, palco, segurança e bla bla bla! No final das contas me arrependo amargamente das seguintes coisas:

1. Ingresso cobrado: Eu não paguei nada pra entrar, afinal, entrei como músico, mas fui obrigado a concordar com TODOS que reclamaram e chiaram por cobrar entrada. Sério, eu sei que existem diversos custos em fazer um evento assim e que o público já não é grande, mas pra oferecer o que o evento acabou oferecendo, se eu fosse um mero espectador, eu não ia nem de graça!

2. Estrutura(?): Bem, talvez os organizadores quiseram dizer que o evento tinha estrutura na visão de um pedreiro, afinal, antes era numa roça, e dessa vez tinha paredes, telhado e palco de alvenaria. Na boa, não prometa e nem faça propaganda de nada que não seja possível cumprir, afinal de contas, como eu fiquei sabendo de tudo via "telefone sem fio", repassei e fiz propaganda de maravilhas a respeito do Fest Rock, tenho que pedir desculpas a várias pessoas para não ser processado por propaganda enganosa.
Pra começar, a história de respeito aos músicos foi parar aonde? Que "estrutura" foi aquela oferecida? Pra começar, arrumam uma sonorização tosca, que nem foi paga pelo evento, ou seja, pra merda não voar demais, diremos que foi "cedida", porém, por um contrato de 8horas onde 13 bandas inicialmente (mais uma ou duas que foram tomar um vinho com o Sergio e acabaram entrando no set) iriam tocar. Ainda bem que eu estudei matemática e não tive problemas para entender a merda que deu (Mas na hora de aprovar um aumento tem gente que aprende a somar rapidinho).
Continuando, cadê a estrutura para os músicos? Um PA sem retorno decente, uma caixa de Guitarra, uma bateria, um rack de potência e uma mesa de som com o menor número de canais possíveis? Aproveitando e pegando o amigo do cunhado da vizinha que conheceu num boteco e colocando o cara pra ser "controlador de mesa" ou "técnico de som" com o enorme conhecimento de ligar o equipamento e aumentar o Master Volume? Já vi bichos irracionais no Animal Planet fazerem coisas mais surpreendentes! Pra começar, não tinha amplificador de baixo no palco! Acredito que, desde os "eventos" de aniversários na casa de amigos, onde juntavamos uma galerinha pra fazer barulho e tinhamos que pegar um amp de baixo emprestado em algum lugar, esse foi o primeiro evento que não tinha um amplificador de baixo, segundo, que o nosso grande amigo "(des)controlador de mesa que não sabia o que estava fazendo" não tinha (nem ligado) o controle de ganho de entrada do baixo e de algumas peças de bateria, ou seja do jeito que o som saia do palco, passava direto pra potência, resultado: Baixo Ativo + Pré Amp no palco = no início o som do baixo estava altissimo, ai pra diminuir o baixo, cortaram o grave do baixo (afinal baixo não é grave?) e ficou aquele som apenas brilhante e estalado em cima do palco extremamente irritante e tão alto quanto, pedimos pra abaixar o volume, e não sei a que ponto, nosso amigo Jam chegou e tentou salvar a pátria na mesa de som. No som pro público, ele fez um milhagre e conseguiu dentro dos limites do equipamento, dar jeito no som, contudo, da segunda música em diante, sobre o palco, eu não ouvi mais o baixo, nesse ponto, o tesão de tocar já tinha ido pra casa do caralho, afinal, tocar com baixo desligado, só em casa, durante 10 minutos, quando estou com preguiça de ligar o amp e colocar fones.
No geral, estou longe de querer ser um "Tim Maia", mas exijo no mínimo um equipamento decente pra tocar... Não ganho porra nenhuma tocando, alias apenas gasto com um divertimento meu, um divertimento com profissionalismo, mas um divertimento, invisto uma grana em instrumentos e equipamento pra chegar num "evento" desses e ser a merda que foi! Pra pqp com isso!


3. Organização: Começou cheia de boas inteções, mas a decepção só não foi maior do que o episódio varginha! Caralho, como pode uns caras que se dizem profissionais fazerem uma merda dessas? Será que eles não sabiam do que estava acontecendo? Do tal contrato de som por 8 horas? De que teve gente que saiu de casa (uns 200km) pra tocar e acabou não tocando e que isso é um extremo desrespeito? E sei exatamente como é fazer uma viajem (no meu caso muito maior) e por culpa da organização acabar não tocando...
Espero sinceramente que o evento acabe, por que na boa, o último "Esperança Pró-rock" que toquei, que era organizado por pessoas que conheço pessoalmente e de profissionais não tem nada, muito pelo contrário, era um bando de mulambos (hehehe não me levem a mal, mas eram mesmo), apesar de todos os problemas, foi MUITO melhor organizado que esse último Fest Rock!


Em vias gerais, caso o evento venha a continuar existindo, só toco sob contrato, com acatamento de todas as exigências técnicas necessárias para se fazer um bom show (equipamentos e técnico de som), e se o nome das banda for pelomenos 3 vezes maior do que o nome "Sergio Meneguelli", afinal, é o minimo a se fazer por quem realmente faz acontecer o evento, ninguém foi lá pra ver o organizador de porra nenhuma, foi pra ver bandas ou beber cachaça ao ambas as coisas.

Nunca prometa o que não pode cumprir.

Felizmente, o final de semana fez valer a pena pela presença de meus amigos, pelos papos jogados fora, e pelo simples fato de estar perto de pessoas que gosto!

Deixo claro que, essas opiniões não refletem a opinião de mais ninguém do que a mim mesmo, assim como não citei organizações vinculadas e ninguém, espero que não vinculem nada a minha pessoa. Achou ruim? A verdade dói mesmo! Porém, cada um com seus problemas. E também não guardo rancor de ninguém, portanto, Sérgio e demais organizadores, só não façam a mesma merda denovo!

sábado, 10 de novembro de 2007

sexta-feira, 9 de novembro de 2007

domingo, 4 de novembro de 2007

Guarapa!

Resolvemos aproveitar o feriado dos mortos e fazer coisas que todo vivo deveria fazer, fomos viajar com destino a Guarapari!

Cada vez mais me surpreendo com a cidade, realmente, após procurar um chaveiro, e o mesmo ter feito a maior campanha eleitoral do vice que assumiu a prefeitura, notei que a cidade está mais limpa, cheia de obras bonitas que enchem os olhos de qualquer turista.

Falando em turista, só se deve ter cuidado, pois é nessa palavra que a galera se apanha para ganhar um grana e se você não for esperto, paga caro por tudo.

Mas o que mais me impressionou desta vez, foi a praia dos namorados. CACETE! Que "quiosque" foda foi aquele que contruiram na praia dos namorados! Não é barato, mas vale a pena gastar uns dinheiros para conhecer e consumir alguma coisa no lugar.

Palmas pra caipirinha show de bola!

Pena que o tempo não ajudou muito e ficou nublado em 90% da estadia, sem problemas, outras oportunidades virão!

quarta-feira, 17 de outubro de 2007

PoisonGod libera 4 músicas no Myspace.com

Estava na hora...

www.myspace.com/poisongod666

Aproveita que não tá fazendo nada e vai escutar!

Fest Rock nos aguarde!

sábado, 13 de outubro de 2007

Bravo! Muito Bravo! Bravissimo!

Ouvi a pouco o novo álbum de estúdio do Dr. Sin entitulado "Bravo", e como era de se esperar pelo currículo dos caras, o álbum é ótimo!


O album composto por 16 músicas, bastante grande por sinal, mas, pelo tanto que nós da PoisonGod temos composto ultimamente, imagino qual a dificuldade que o trio teve para escolher quais músicas entrariam no álbum!

A virtusidade do carinhosamente chamado "eduzinho", o baixo pra lá de bem tocado e os vocais agressivos a la falsete de adria e a bateria marcante do irmão busic, ivan, fazem desse albúm mais um BRAVO albúm do Dr. Sin! Faz gosto escutar! (Apesar da audição não ter nada a ver com o paladar)

E para minha supresa (e nem deveria me surpreender) quem é o cara responsavél pela ótima capa e artwork do álbum? Gustavo Sazes! É, ele mesmo, que támbem fez nossa capa de Daemoncracy (PoisonGod) e de mais um monte de bichinho de orelha por ai! Talento deve ser reconhecido... o cara é foda! Quem sabe um dia me torne um designer tão bom quanto...

Agora eis a questão: Quando é que vão trazer o Dr. Sin pra Colatina? ou pelomenos Vix? Quem sabe no fest rock do próximo ano, se tudo ocorrer conforme os organizadores esperam eles não possam vir pra cá tocar no evento que promete crescer para que todos possam ir escutar boa música, com segurança e sem o medo de ter algum mulambo bebado pra pisar em cima! Quer beber até cair?? Vai pro buteco de alguém, lá não paga R$5,00 de entrada!

domingo, 30 de setembro de 2007

Filmes do Final de Semana

Pois bem, como quase todo mundo, gosto muito de cinema e considero um dos tabalhos artisticos dignos de admiração de qualquer um (ao contrário das novelas da globo, é claro).

Esse final de semana assisti à 2 filmes: "Babel" do diretor Alejandro González Iñárritu tendo como um dos principais atores do Brad Pitt, filme que preciso assitir outras vezes para tecer um comentário de verdade, e , o divertido "Motoqueiros Selvagens" (Hild Hogs).

Este último, uma divertida comédia sobre motos, gangues, com um elenco invejável (John Travolta, Tim Allen, Martin Lawrence e William H. Macy) e sacadas muito legais. O filme retrata a história de 4 velhos amigos "senhores de meia-idade" que levam suas vidas profissionais e pessoais, e que, formam o que poderiamos chamar de moto-clube de tiozões: os "Wild Hogs" (nome dado pela esposa de um deles... hehehe). Em um certo ponto da vida, eles cansados de sua vida pacata resolvem fazer uma viajem de moto ao típico estilo norte americano: Harleys, couro, bandanas e capacete que é bom só tinha uma merrequinhas.

Hehehe, logo no início, antes de começarem a viajem, encontram o Paul Senior e Paul Jr, do reality show American Choppers, sacada que achei bem legal. No decorrer da história conhecem um guarda-rodoviário moçoila, e arrumam encrenca com uma gangue de motociclistas do mal (Inclusive um deles, é um "Outro" de Lost, o que o deixava mais malvadão ainda)!

Agora o mais foda, é o Extreme Makeover nos créditos! Hahaha aquilo foi hilário, principalmente pelo fato de eu ter endendido todo o contexto desses programas!

Vale a pena assistir.

quarta-feira, 26 de setembro de 2007

Em terra de cego, não se pode ter medo de cachorro!

Cada vez mais, o mercado de trabalho está mais exigente, mas, ao mesmo tempo, existem cada vez mais pessoas despreparadas (e acomodados) e que continuam trabalhando exatamente por falta de profissionais preparados no mercado. Será mais uma forma da natureza para manter o equilíbrio das coisas?


A seleção natural, principal teoria do Darwinismo, usada em teses gerais como paralelo à situação do mercado de trabalho, nos mostra que as pessoas são selecionadas naturalmente por seus próprios feitos e pelo ambiente em que vivem. Ou seja, você pode ser um PUTA profissional para Colatina/ES, mas é bem provável que você seja apenas mais um dentro de São Paulo/SP, afinal de contas, onde o canibalismo do mercado de trabalho ataca com mais força, a água bate na bunda mais forte e te impulsiona a "evoluir". Além do mais, as próprias oportunidades financeiras e educacionais que existem de lugar para lugar moldam os profissionais de formas diferentes para que eles sobrevivam a aquela realidade.

Contudo, mesmo dentro da mais desenvolvidas das cidades, existem profissionais altissimamente preparados e profissionais que não estão nem ai pra hora do Brasil e do mundo, afinal, "a rede nos une".

Alguns desses profissionais se mantêm assim, na grande maioria das vezes por opção, e por incrível que pareça, a grande maioria está trabalhando, pois a lei da oferta e procura não falha, preciso de alguém pra trabalhar, não tem tu, então vai tu mesmo! O mercado, por mais que careça de profissionais preparados, acaba por optar a tentar preparar o cara na marra!

É claro que ao analisar o mercado de trabalho da forma que estou, fica tudo muito vago, afinal, existem n! fatores para serem analisados, e talvez algum desempregado possa estar me xingando ao ler isso por eu estar dizendo algumas coisas. Mas não vem ao caso, não estou analisando o mercado como um todo.

Apenas estou dizendo que, será essa uma forma da natureza - essa força que faz nascer, faz morrer, e busca sempre o equilíbrio de qualquer sistema (notável nos acontecimentos climáticos) - equilibrar o sistema? Desacelerar a velocidade da evolução antes que o mundo entre num colapso? Ou, né porra nenhuma disso, eu que to viajando aqui?

Só sei que, por experiência própria e dos outros, grande parte da humanidade é movida pelo Caos, as coisas só funcionam depois que a água bate na bunda, e depois que se entra em terra de cego mermão, não pode ter medo de cão guia! E assim, a equação do universo vai buscando o equilíbrio enquanto fazemos questão de desequilibra - lá!

domingo, 23 de setembro de 2007

Nada de feitiçaria, apenas tecnologia.

Apesar de, durante uma época, ter me rendido ao mundo de guerreiros e feiticeiros do D&D, e não negar que ainda tenho um lado RPGista, tenho como hobby (além da música claro, que é mais que um hobby) tecnologia, afinal, já quis ser hacker, sempre gostei de computador, fui considerado nerd por muitos, acho legal demais conhecer, ver e criar tecnologia, ou seja, quase geek, mas prefiro não me definir de forma alguma.

Hoje, nas mais simples coisas existe sempre uma puta tecnologia empregada, e vejo que apesar de muita coisa estar caindo o preço (por exemplo, vi esses dias uma "pulseira" - até que bem legal - que é um pendrive de 1 GB por R$50,00, sendo que um pendrive dos mais feios possíveis a pouco tempo atrás eram R$300,00), existe muita coisa que ainda é caro e impossível de se comprar, afinal, não posso ter toda tecnologia que o dinheiro pode comprar, mas posso ter toda a tecnologia que a a rede me deixe conhecer, e como informação é o que não falta na rede...

Esses dias, achei vários esquemas de automação residencial controlada por computador, ligadas em usb, paralelas, seriais, de todos os tipos. Hehehe, sabe aquelas coisas de filme? Portas com teclados para senhas, controle de iluminação, qualquer aparelho elétrico ligado ou desligado pelo computador, controle de ventiladores por sensação térmica... uau...

Na boa, me deu vontade de fazer um curso de eletrônica.

quarta-feira, 12 de setembro de 2007

Comércio

Hoje mais uma vez me decepcionei com o comércio de minha terrinha quente chamada Colatina. A primeira vez que fiquei um bocado decepcionado foi quando no final do ano passado resolvi montar meu pc.
Já que ia investir em um pc, comprei uma senhora máquina, e como de constume, comprei inumeras peças na internet, depois de tomar uma furada de uns 400 reais no ML, resolvi achar algumas peças aqui em Colatina mesmo...
Sai pelo comércio a procura de uma fonte de valor real, alguma Seveteam, Corsair, essas marcas um pouco mais baratas nesse mercado de fontes. Nada daquelas Leadrship Gamer que não aguentam o tranco.
Para minha infelicidade, apenas UMA loja de informática em Colatina (e olha que não são poucas comparadas ao tamanho da cidade) sabia do que se tratava... as outras sempre me recebiam com um "fonte de valor o que???!?!?!?"... só faltou algum cabeçudo me dizer que todas as fontes são vendidas em "real".
Pois bem, quando estava terminando de montar meu pc, comprei um monitor LCD com entrada DVI. Quando procurei um cabo DVI, adivinha as respostas: "cabo DVOQUE?", "Não é cabo de DVD não?", "O que é isso?".... AHHHH pra pqp, até explicar que era um cabo digital pra gente que trabalha no ramo eu tive!
PORRA! Quando esse povo vai começar a perceber que pra trabalhar com tecnologia tem que estar ligado no que acontece, tecnologias de fora do Brasil e o caralho a 4. Se fosse por falta de informação... mas putz... será que tem gente que ainda não percebeu que internet é mais que msn e orkut? além do google, exitem muitos forums onde pessoas interessadas debatem muitos assuntos voltados pra área, é só pesquisar...

As vezes fico pensando se eu não deveria abrir um negócio nessa área de tecnologia, que é uma área que gosto um bocado e pelo que percebo é bem carente. Pois tem muita gente que ainda acha que Informatica (termo quase em desuso, pois está sendo substituido por tecnologia) é muito mais do que o computador, existe informatica no seu PC, no video-game, na TV, Microondas, Geladeira, Alarme, etc.

Pois bem, prestes a estourar (ou "pocar" pra nós capixabas) a onda de HDTV, tv digital, tudo digital, as Tvs LCD em todas as lojas por ai... quando procuro um cabo HDMI o que me respondem no comércio de Colatina???? Heim??? prefiro nem falar...

Vai ser despreparado assim na china!

Cá entre nós... o comércio local tende aos poucos ir acabando mesmo, pois sabe o que fiz? Comprei no ML. Fácil, rápido, e com 2 dias o correio entrega na porta da minha casa.

E sabe por que tudo no comércio eletronico é mais barato? Por que não tem que pagar aquelas antas quadradas que chamam de vendedor, que além de não saberem das coisas, acham que você que não sabe do que tá falando e ainda tenta de empurar um produto que não quer!

Evolução chegou povo!

terça-feira, 4 de setembro de 2007

Descarrego Mental!

Depois de meses de trabalho compondo algumas coisas (que acontece naturalmente), gravação, ajuda na mixagem/masterização, criação de algumas artes do album, etc, com Daemoncracy do PoisonGod, tá tudo pronto, sobrou uma folguinha, é hora de descansar, certo?

ERRADO!

Quem disse que consigo? As vezes até gostaria...

Mas... pra ter uma valvula de escape criativa, até mesmo pra jogar algumas coisas compostas que não tem nada a ver com o Poisongod, comentei com meu irmão (o scooby) que tava afim de montar um projeto meio que baixo, distorção, bateria e vocal, alguma coisa ao mesmo tempo rock e metal, mas com algo eletronico no meio (até mesmo por que o projeto é eu+eu... e pra fujir um pouco (mas nao muito) do meio porrada e tr00).
Aí ele me diz: cara, mas isso já existe! E pior que é verdade... foi assim que a poucos dias conheci Death From Above 1979. Os caras tem um disco de 2005 - You're a Woman, I'm a Machine - que é BEM legal e um disco de remixes depois que já achei um porre...


A Capa do disco é essa do lado... arte que gostei pacas.. hehehe bem criativa... é baixo distorcido, bateria e vocais bem na linha alternativa das coisas mesmo...

O melhor de tudo, é que quando um guitarrista espertinho vier me falar da banda dos White, a White Stripes, eu tenho uma carta na manga!

Bem, quanto ao projeto, talvez algum dia saia, não vou fazer merda pra jogar no ventilador, portanto, se sair alguma coisa que eu goste, provavelmente vão achar isso na net algum dia!

sábado, 25 de agosto de 2007

O Apocalipse está chegando... arrependam-se todos!


Pode ser que seja o inicio do fim, mas está para acontecer! Os 5 cavaleiros Lol's do Apocalipse estão todos no mesmo território novamente...

Welcome Malk! Espero que as francesas tenham te deixado voltar inteiro...

Época boa... um monte de estudantes de ensino médio com tempo de sobra pra pensar e fazer besteiras! E apesar da vida seguir caminhos diferentes, de colocar barreiras e atrapalhar as coisas... nunca será como antes, mas estes caras sempre serão meus amigos!

Saudade desses 4 viadinhos...

sexta-feira, 24 de agosto de 2007

Prometi tá prometido!

Vou preparar uma longa postagem falando sobre minha história no PoisonGod até hoje... portanto... um foto pra ir preparando! E no clima de Daemoncracy...

Bem vindos ao novo governo!

New Fucking Design

Caralho! Hoje fiz o design do blog do Marz (www.blacklemonade.blogspot.com) e precebi que até hoje não tinha feito o design do meu blog... resolvi tomar vergonha na cara... Apesar de os planos de me profissionalizar na area ainda estarem engatinhando... que especie de designer eu sou(ou quero ser)?...

Bem ai está!

Fuck Off!

quarta-feira, 18 de julho de 2007

Músicalmente falando...

Quando fiz minha faculdade de administração, logo no primeiro ano aprendi a famosa Teoria da Hierarquia das Necessidades de Abraham Maslow, e aquele quadradinho no topo do desenho em forma de pirâmide, chamado "Necessidade de Auto-Realização" sempre me chamou atenção... até mesmo pelo fato de que, essa necessidade nunca é a mesma, afinal, somos realmente uma metamorfose ambulante, e nossas necessidades e metas vivem mudando a todo momento.

De qualquer forma, é muito bom quando você consegue chegar perto dessa auto realização, e musicalmente falando, numa fotografia estática das minhas necessidades em certo momento, eu cheguei ao topo. Claro que hoje já tenho necessidades, vontades e pretenções maiores, mas estou feliz, na PoisonGod, lançando um CD com nível de qualquer banda gringa, com demo gravada e bem resenhada pela crítica, e com caras que gosto.

Desde... sei lá quando... acho que 1998 ou 1999, quando fui num certo dia, no depósito da igreja e no meio de panos e caixas, vi uma pedaço de pau com cordas e perguntei se podia pegar emprestado pra ver se funcionava, já se passaram ai uns quase 9 anos que tenho contato com o baixo... e pelo tempo de contato... eu deveria tocar melhor... hehehe... mas contiuando... ali tive meu primeiro baixo, um tonante, tosco, "roubado" da igreja e carinhosamente apelidado de "lucifer" por mim e pelo Malk...
Comecei tentando tocar na bandinha da igreja... mas não aguentei muito tempo...
Fiquei bastante tempo tocando em casa, até que vendi o Lúcifer por R$100,00, metade na entrada e os outros R$50,00 eram pra 30 dias, mas até hoje o cara não me pagou... hehehe... Com a venda e ajuda do meu pai comprei um Yamaha RBX Vinho... E dali pra frente tive vários baixos (não tantos quantos queria, mas tantos quanto pude ($$$) ter...).
Pouco tempo depois entrei na Metal Milicia, banda, inicialmente cover de Metallica, que depois até por influência do que eu ouvia na época, acabou incorporando alguns Iced Earth´s, e outras coisas. Mas, era básicamente Metallica na cabeça... Foi um tempo legal, eu era um moleque, tocava razoavelmente, e levava a bagaça a sério até demais, assim como toda a galera na época, acho que foi por isso que a banda acabou naquela época (depois acabou voltando algumas vezes). Ali toquei com caras muito legais, muitos nem tenho mais o contato que gostaria, outros ainda o tenho... mas, citando:
Minie, um negão da minha altura com esse apelido eh foda... mas, gente boa demais, cantava bem legal, e ralava pra cacete... Você já casou rapah?
Pé-de-pano, tive pouco tempo de contato, tocava bateria, logo depois saiu, mas de vez em quando nos encontramos por ai.
Nino, guitarrista louco de amores pelo Metallica e ai de quem falasse mal, gente finissima, numa hora dessas deve estar ralando lá na italia, o motivo pelo qual saiu da banda nos meados da história.
Paulo, O Kirk Hammet da história, era o cara que tocava pacas na banda, gente fina demais, depois que o nino saiu resolveu ir estudar guitarra e já passou por algumas cidades estudando (BH, SP), hoje, toca Jazz e quase não o vejo...
Iskda (lê-se ESCADA), o batera que entrou no lugar do pé de pano e continuou na banda (incluindo o minie) em todas as idas e vindas que ela teve, de vez em quando vejo-o perdido por aqui... o cara dos projetos...
Yuri, Guitarra que acabou entrando no lugar do Paulo na saída da dupla de guitarras que formaram a banda, tocava legal pacas, tinha presença, depois da Metal Melancia formou uma banda legalzinha de HardCore Melodico (quase EMO.. hehehe) e depois abandonou a música, de vez em quando o vejo com um livro de direito debaixo do braço!
Alvim, o guitarman que entrou no lugar do Nino, nos conhecemos na banda e é com quem tenho mais contato atualmente, de vez em quando rola uns churrascos na casa dele! É o cara que ralou pra cacete e comprou um set de guitarras do caralho... só não arruma banda pra tocar com elas... toma vergonha Alvim!
Com essa ultima formação, Eu, Alvaro, Yuri, Iskda e Minie que a banda "acabou" pela primeira vez, com todo mundo querendo levar as coisas a sério demais e com idéias diferentes na cabeça... mas foram anos memoráveis, shows bem legais que não vão sair da memória... Ainda tenho uma pasta onde guardava coisas da época, a logomarca que criei, letras de músicas que a gente pensava em fazer - todas com um inglês pra lá de horrível, entre outras coisas... dentro da nossa visão, durante uma certa época, a gente foi a "banda do pedaço" de Colatina... claro, dentro do submundo do underground de uma cena que sequer existe!

Guardo sempre as coisas que gosto, taí algumas da época do Metal Milicia:

O último site que criei pra banda (hehehe nesse caso sempre são muitos)


Como eu era muleque... hehehe...


A primeira formação lá em Santa Teresa (com direito a (d)efeitos especiais):


A segunda formação no Jufest:


Continuo em outro post falando da fase pós Metal Milicia...

domingo, 24 de junho de 2007

Viajar...



Já havia trabalhado com moto antes, mas até o inicio desse ano nunca pude dizer que tive alguma moto pra chamar de minha.
Final do ano passado eu e Cacah decidimos comprar uma moto, depois de muita pesquisa entre a categoria de 250cc, optei pela Yamaha Fazer 250, uma moto com tecnologia, injeção eletrônica (comum entre os carros, mas novidade - pro Brasil, claro - no mundo das duas rodas), econômica e esperta.
Mas bem, não to aqui pra falar da moto, mas sim de um dos prazeres que descobri ao entrar nesse mundo das duas rodas... viajar de moto!
Cara, como é legal juntar algumas tralhas, colocar em cima da moto, encher o tanque, calibrar os pneus e pegar a estrada... não é atoa que se vê tantas e tantas pessoas que viajam ou já fizeram grandes viajens de moto, é uma experiência que deve ser no mínimo única!

Já fiz algumas pequenas viajens desde quando peguei a moto: Colatina-Vitória, Colatina-Guarapari (umas 3x), Colatina;Baixo-Guandu;Itaguaçu;Itarana;Santa Teresa;Fundão; em uma visita ao brother Douglas que mora em Itarana e formou na faculdade comigo.
Pretendo fazer algumas outras viajens ainda...
Quanto a segurança, percebi que a não ser que você esteja dentro de uma carreta com algumas toneladas de qualquer coisa em cima, não existe veiculo mais ou menos seguro. Seguindo os preceitos básicos de um bom equipamento de segurança, atenção e bom senso (leia-se: saber como e a quanto você pode andar respeitando sua capacidade, capacidade da moto, transito, estrada, piso, vento, clima, sinalizações, revisão da moto, etc) da pra viajar tranquilo e curtir o tour.

domingo, 17 de junho de 2007

Eventos e Mudanças, será que são por acaso?

No mundo capitalista comteporâneo, onde o canibalismo comercial, metas infinitas e a competição organizacional resumem o lado humano das pessoas a amigos e familia, sendo que fraternidade e boa vontade é uma coisa que só se faz por telefone ligando para 0800 não sei o que 30 para doar 30 reais, temos que ter as nossas convicções bastante definidas para que ao vestirmos a camisa da nossa empresa, emprego ou trabalho, não rasguemos a própria pele que nos lembra o quão humanos somos...
Mas as vezes, Eventos acontecem aleatóriamente na nossa vida e geram algumas Mudanças, e certas vezes, essas mudanças atingem nossa tão sólida convicção...

Dai surgem as dúvidas... das mais diversas, que viram seu próprio mundo de cabeça pra baixo tentando encontrar o que vale a pena e o que tão pouco... obrigando-o a analisar mais uma vez se suas convicções estavam certas, se os planejamentos de todas as esferas da sua vida são realmente o que você quer...

Até qual ponto vale a pena planejar o futuro? Ou simplesmente deixamos que a maré do tempo nos leve? E se eu não quiser o que todo mundo quer? E se eu não quiser viver da forma que o mundo quer que eu viva? Até aonde vou me sacrificar pra satisfazer as vontades das outras pessoas? Até qual ponto vale a pena engolir algo que te incomoda?

Até hoje, só consegui descobrir que vale a pena amar, vale a pena estar perto quem ama e gosta, vale a pena se divertir, vale a pena fazer o que se gosta... o resto, apesar do Raul já estar mais do que batido, prefiro ser uma metamorfose ambulante e para o futuro, seguindo um conselho de um provérbio oriental, não tenho medo de crescer devagar, só tenho medo de ficar parado... e de sufocar minha felicidade em busca de crescimento...