quarta-feira, 30 de janeiro de 2008

Review for my ego!

Estão aos poucos saindo alguns reviews de Daemoncracy pela net, mas o último, realmente eu gostei pacas. O autor conseguiu entender o álbum como um todo, e na boa, me fez acreditar que realmente valeu a pena, não só gastar um tempo enorme ensaiando e gravando e se preocupando com o som (que é apenas 1 recurso do álbum), mas gastando um enorme tempo tratando imagens, escolhendo a capa certa (Thanks Gus! - www.abstrata.net), tirando as fotos contextualizadas, quebrando a cabeça com layouts, vendo e revendo o encarte afim de conseguir uma arte legal, além do tempo despendido não por mim, mas na criação das letras e tudo mais.

Segue o review que foi postado no blog http://arisemetalblogzine.blogspot.com

"PoisonGod –Daemoncracy

Por Wesley Rodrigues

O mérito de Daemoncracy está para além das suas dez faixas. Afinal, não é só de música que vive uma banda, mas também de atitudes, idéias, imagens e letras. Os capixabas do PoisonGod mandam bem em todos esses fronts. Que seja citada em primeiro lugar a iniciativa de disponibilizar no seu site (poisongod.com) o download de todo o disco, junto com o belo encarte. A justificativa merece ser transcrita aqui: “O descaso desmedido da indústria fonográfica para com os seus consumidores em geral e os preços abusivos de seus produtos foram motivos para essa liberação, sendo o maior de todos a preocupação do PoisonGod em levar a sua música ao maior número de pessoas possíveis.”. Nada mais correto do que uma banda buscar retorno financeiro pelo seu suado trabalho. Mas em um cenário como o nosso, atitudes de socialização serão sempre mais bem-vindas.

Na parte lírica, eles vão bem, inspirados na companhia de Alan Moore, Aldous Huxley e George Orwell. O álbum é conceitual e aborda a questão do totalitarismo em suas letras. O encarte também é bonito. Ficaram ótimas também as fotos promocionais que a banda tirou. Temática, postura, arte gráfica: tudo aqui está coerente e envolto no significado que a banda imprimiu.

Voltemo-nos à música agora. Trata-se de um trash-death executado com técnica pelos músicos. O guitarrista e principal compositor Marlon Martinelli manda muito bem, principalmente nos solos. Destaco o da música “Bullets”, que aliás é minha preferida. Outras faixas de destaque são “Bulletproof Ideas” que com seu refrão contagioso deve funcionar muito bem ao vivo; “The Dignity Fortress”, outro bom momento de Martinelli; e “Genesis Protocol”. Apesar de haver destaques todo o disco é bom e merece ser ouvido na íntegra. Em Daemoncracy, PoisonGod mostra que é mais um motivo de orgulho para o Heavy Metal Nacional."

segunda-feira, 28 de janeiro de 2008

Quebradeira total...


Por indicação do Pezão, acabei conhecendo uma das banda mais legais que estou ouvindo ultimamente, os britânicos do "Sikth".

Os caras fazem um som bastante trabalhado, com riffs tortos e contagiantes, além de passagens totalmente progressivas que mostram o bom gosto dos caras. Além disso, a quantidade de tempos quebrados, a qualidade dos riffs, a quantidade de técnicas utilizadas e o bom gosto dos caras ao fazerem as músicas fazem que qualquer bom apreciador do estilo fique com sorriso de orelha a orelha.


Os vocais não são feitos por uma só pessoa, existem 2 vocais na banda, sendo um apenas vocal e outro vocal/sintetizador. Nas músicas, as linhas vocais passeiam por guturais/rasgados e agressivos a limpos e melódicos. O trabalho de cordas é impressionante, todos ali mandam bem, a batera é bem acertada e o baixos passeiam bem entre as linhas de guitarra e bateria, fazendo seu trabalho de forma competente e utilizando de técnicas não tão convencionais no estilo, como o slap.

Nos dois álbuns da banda - The Trees Are Dead & Dried Out Wait For Something Wild (2003) e Death of a Dead Day (2006) - não existem intrumentos em segundo plano, todos tem seu papel bem audivel, graças à composições bem feitas e uma produção mais que profissional. As influências notáveis passam desde de bandas mais "novas" como Mudvayne e Meshuggah à bandas com quase quatro décadas, como o King Crimson.


Recomendo.

Links da banda no youtube:
http://www.youtube.com/watch?v=cAyqaLpJTQg
http://www.youtube.com/watch?v=ARTvoqqn8U8

domingo, 20 de janeiro de 2008

Inteligência...


Acabei de assistir o filme "IDIOCRACY", de 2006, criado por Mike Judge (mente criativa por traz de Beavis e Butt-head, O rei do pedaço, etc), conta com alguns atores até conhecidos, estrelado por Luke Wilson (Escorregando para Glória, Legalmente Loira 1 e 2, Pânico 2, As Panteras, etc.

OK. No geral, o filme é chato, o roteiro não é lá aquelas coisas e o humor é mais do que idiota, chegando a ser sem graça as vezes. O filme conta a história de um cara comum que hiberna por um programa militar experimental nos dias atuais e acorda 500 anos depois num futuro onde a humanidade involuiu.

A mensagem é interessante e é uma pena que nunca vai chegar a quem realmente precisa.

A teoria é feita na base de que, os casais inteligentes (maior QI) têm menos filhos do que os casais de QI inferior. Portanto, a expansão demográfica de certa forma seria "burra".

Por sorte, os últimos estudos mostram que a cada geração a média de QI vêm crescendo...

Portanto, é um filme um pouco chato, sátira dos EUA atual, mas que, se você não tiver nada pra fazer, assita! Você vai no minimo rir algumas vezes e ficar com vontade de ler um livro depois do filme!

sexta-feira, 18 de janeiro de 2008

I want the easy money!

Conheci Billy Joel, atráves da música "easy money", que fez parte da trilha de alguma das temporadas de Lost.

As musicas são boas, o cara é foda... segundo a wikipédia "Billy Joel manteve um grande sucesso por duas décadas, mesmo se recusando a seguir as exigências de sua gravadora, que queria somente material comercial"... ou seja... um tr0o de sucesso!

auhhua brincadeiras a parte... a musica é muito boa.

Easy Money
Artist: Billy Joel
Album: An Innocent Man


You don't have to talk all night
I'm a man who can't say no
You don't have to twist my arm
Just point me where you want to go

Take me to the action, take me to the track
Take me to a party if they're bettin' in the back
I've been working all my life, can't afford to wait
Let me call my wife so I can tell her I'll be late

I want the easy, easy money
Easy money, I could get lucky
Oh, things could go right
I want the easy, easy money
Easy money, maybe this one time
Maybe tonight

You don't have to try too hard
I don't need a song and dance
I don't need an invitation
If you've got a game of chance

Take me to the tables, take me to the fights
Run me like the numbers, roll me like the dice
When you're counting on a killing, always count me in
Talk me into losin' just as long as I can win

I want the easy, easy money
Easy money, I want the good times
Oh, I never had
I want the easy, easy money
Oh, I want the good life
I want it bad

Easy money, you say I fool myself
But better me than being a fool for someone else
I got a hot slot machine of a system ready to go...
Easy money, I got a one-track mind
And a good reputation laying on the line
I'll either come back a bum or a king
Baby I don't know

You don't have to start a fight
I'm a man who can't say no
If you've got a little risky business
Just point me where you want to go

Take me to the power, take me to the heat
Take me to the cleaners if it's open to the street
Something's got to pay off, something's got to break
Someone's got a fortune that they're begging me to take

I want the easy, easy money
Easy money, I could get lucky
Things could go right
I want the easy, easy money
Easy money, maybe just this time
Oh maybe tonight

Easy money, oh, I don't want no hard cash
I just want the easy money...oh...I could get lucky

quinta-feira, 17 de janeiro de 2008

Mundo corporativo... Welcome to the Jungle!

Fiz faculdade de administração, e desde então, tenho me desenvolvido profissionalmente nessas minhas áreas de interesse: Administração, TI e Financeiro, áreas que estão de certa forma interligadas e são provenientes respectivamente de minha formação acadêmica, de meu gosto pessoal e de meu trabalho.

A partir daí, você passa a ler, fazer cursos, estudar casos, e começa a entender que:

Tudo é moda. Existem várias formas de se obter lucratividade, porém, o mercado é quem dita as regras, daí saem os livros, daí os empresários lêem (quem dera se fosse verdade), depois de 5 anos, pensam em implantar alguma coisa e depois de 10 anos quando a água bate na bunda de todo mundo, acontecem as mudanças... só que nesse meio tempo, a "moda" já mudou pelomenos umas 3 vezes, e o processo se repete infinitas vezes.

Só que, da mesma forma que você se veste diferente do que se vestia a 5 anos atrás, você tem que andar na "moda" quando se trata de - vou usar uma palavra que está em moda - Governança Corporativa (Que teve seu BOOM logo após a quebra da "Enron" em 2001 nos EUA e desencadeou um monte de escândalos corporativos, tendo um conhecido nosso aqui no Brasil - o gato mia, o cachorrinho late e o rinoceronte só quer leite Parmalat! Tomo?!?! É claro que sim...)

Um dos beneficios da moda, é que de certa forma, não existe bonito e feio, bom e ruim, toda prática foi boa pro seu tempo, e essa dinâmica da moda, acaba por trazer (independente do que achamos) algo de bom pro momento que estamos vivendo.

Um dos grandes lances que considero na Governança Corporativa é uma boa dose de transparência e ética, além de trazer um pouco sobre responsabilidade, dando margem aos assuntos de responsabilidade social e sustentabilidade.

Agora, quando se trata do mundo corporativo, dentro da minha visão, sabemos que nem sempre - quase nunca - as coisas funcionam como deveriam funcionar. Mas não existe mal nisso, pelomenos, quando as práticas estão dentro da proposta da empresa, é possível debater com gestores ações que você não considera corretas.

Gostaria mesmo de um pouco de transparência em certas coisas... mas há males que vêm para o bem...

Welcome to the Jungle!

segunda-feira, 14 de janeiro de 2008

sábado, 12 de janeiro de 2008

Roadie Crew e aniversário de casamento...

Bem no dia 8 de janeiro de 2008, acordei cedo, fazendo naquela data 2 anos de casamento, estava feliz pela data, eu e cacah nos vimos pela manhã, mas como as coisas estavam apertadas no trampo, fui cedo pra lá e nem vim em casa almoçar... no meio do dia pezão me liga falando que chegou a Roadie Crew com o nosso review:

"O Poisongod chega ao seu primeiro álbum de uma forma de dar inveja a bandas com muito tempo de estrada. Além de demonstrar uma coragem e confiança fora do comum. Quem quiser conferir o ótimo Thrash Metal executado pelo quinteto capixaba só precisa ter vontade para tal. Basta acessar o site do grupo ( www.poisongod.com) e baixar o disco completo com encarte e capa. Tal ousadia fundamenta-se num trabalho sólido, maduro e muito criativo. A demo Bullets já mostrava uma Banda muito à frente da média, o que foi confirmado nesse début. A produção é de primeira e as composições revelam uma Banda extremamente técnica, com uma sonoridade moderna e bem agressiva. Difícil destacar alguma música em especial neste disco, mas arrisco-me a apontar as faixas Feeding the Dead, The Dignity Fortress, Baphomet Boulevard e aquela que já vem se tornando marca registrada do Poisongod, Bullets, que conta com a participação de Korg (ex-The Mist, Junk Jesus Freud Project, Nut, Chakal) na composição da letra. "Let the madness Begin" 8,0.



Frans Dourado – Roadie Crew Jan/08"

Depois disso... só indo no Irajá e comendo uma moqueca ao molho de camarão pra comemorar a data e a conquista.

terça-feira, 1 de janeiro de 2008

Adios 2007...

Balanço do Ano:
-Goodbye Long Hair... o calor Colatinense me venceu, voltei pro cabelo curto, além de dar menos trabalho, gastar menos, putz, é MUITO mais fresco... durante a turnê russa eu deixo crescer denovo... hehehe!
-Novo site do PoisonGod! \,,/_ www.poisongod.com - DOWNLOAD DAEMONCRACY MOTHERFUCKER!! (2 vezes no ano tb)
-Inicio do projeto Design6ix... vamos ver se em 2008 isso toma forma...
-Férias(2 vezes no ano... isso que dá ficar quase 2 anos sem férias)!
-Lançamento de Daemoncracy! Um puta albúm.... ralamos pra caralho, mas é compensador... tomara se espalhe pelo mundo!
-Gravação de Daemoncracy... caralho, aprendi muito nessa parte do ano, além de gravar os baixos (claro!), acabei pegando algumas coisas de mixagem, principalmente de batera, foi muito trabalhoso também... mas muito legal...
-Alguns shows bons, outros ruins, mas no geral, escassos... 2007 foi um ano fraco pra shows... tomando uma pregada bonita em Varginha, mas 2008 promete..
-Nova "aquisição" pro PoisonGod... mais um grande amigo, e um cara com quem tenho muito a aprender sobre música... Carlim (que também mandou o cabelo pro cacha-prego no ano)!
-Minha mulher terminou a faculdade. Amém! Vai sobrar um dinheirinho...
-Algumas viagens a Guarapari a passeio e visita, uma viajem furada a Varginha (mas valeu pela presença dos amigos e pelas histórias pra contar). Espero conseguir viajar mais esse ano...
- Perdi shows fodas (cabeçudo)... espero conseguir ir a mais shows esse ano.. mas Maiden eu já descarto.... caro demais...
-Com economias e a trancos e barrancos, eu e cacah conseguimos adquirir uma moto e mais no final do ano agora um carrinho!

Portanto... 2007 foi um bom ano... que comece 2008!